FAMINHA em fevereiro

FAMINHA em fevereiro
Beatriz Sant'Ana

FAMINHA em fevereiro

08, 15 e 29 de fevereiro 

Nos sábados, 08, 15 e 29 de fevereiro o FAMINHA, programa voltado para crianças e familiares da Fábrica de Arte Marcos Amaro, oferece oficinas e ações educativas ministradas pelos artistas da exposição “Meios e processos de criação” em cartaz até 01 de março de 2020. Os participantes serão sensibilizados a vivenciar o processo criativo de cada um dos artistas oficineiros por meio do desenho, da gestualidade e das diferentes linguagens artísticas que compõem a arte contemporânea. 

 

O Projeto Meios e Processos realizado pelo Educativo da Fábrica de Arte Marcos Amaro representa o desejo da FAMA de estruturar um ambiente propício para a orientação, a partilha e a pesquisa em criação artística bem como promover o reconhecimento, projeção e inserção de artistas do interior paulista no circuito da arte.  Meio e Processo pretende possibilitar o aprofundamento na experimentação em arte dentro de um contexto de produção e reflexão alinhados com a arte contemporânea. O foco no artista e em seus processos de criação coincide com o desejo do Educativo FAMA de gerar espaços de compartilhamento de saberes tendo em vista a aproximação com metodologias e práticas poéticas de criação.

 

Inscrições:

[email protected]

Whatsapp +55 11 97503.2565

55 11 4022.4828

 


08 de fevereiro – sábado

 

11h às 12h – “Vivência Sensorial” com Dagô 

Faixa etária: a partir dos 12 anos

Sinopse: O artista conduzirá uma experiência sensorial através do desenho produzido com os olhos vendados e em silêncio utilizando carvão. Ao final de cada desenho os participantes serão convidados a registrar suas sensações por meio da escrita. Ao término da oficina todos trocarão suas percepções numa roda de conversa.

Minbio: Dagô Artista Visual trabalha com diversos materiais; dentre eles: pedra sabão, bambu, madeira e ovo de avestruz. Os aspectos tridimensionais das obras são bastantes relevantes, na medida que ajuda a materializar as percepções e sentimentos do seu espírito em relação ao mundo interior e exterior. Constantemente faz uma auto reflexão do ser com a natureza e com os outros. 

 


15 de fevereiro – sábado

 

10h às 12h –  “A linha como gesto” com Marília Scarabello e Malu Loeb

Faixa etária: a partir dos 12 anos

Sinopse: A oficina propõe o experimentar e a construção de gestos a partir da linha, tendo como elementos disparadores o trabalho das duas artistas.  Em um primeiro momento haverá uma visita à exposição e uma proposta de conversa entre o grupo para falar sobre cada uma das obras, os processos envolvidos, quais significados carregam, o que possuem em comum e principalmente, em qual ponto os trabalhos tomam direções distintas ainda que partam da mesma materialidade: a linha. A partir da conversa será proposta uma atividade prática: a construção de uma ação pela FAMA usando como matéria carretéis de linhas. A elaboração da ação e a ação em si serão registradas em vídeo pelas artistas. 

Minibio: Marília Scarabello é formada em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, especializou-se em Cenografia Teatral no Espaço Cenográfico e é mestra em Artes Visuais pela Unicamp. Como artista possui um trabalho que transita entre a fotografia, desenho, arquitetura, com uma pesquisa direcionada às questões que envolvem a ideia de território. 

Minibio: Malu Pessoa Loeb é natural de São Paulo, com Especialização em Artes e Psicanálise – SEDES/PUC e formação em artes em Londres, com estudos realizados em Goldsmith, Central Saint Martins College e Royal College. Atualmente é representada pela Lona Galeria de Arte.

 

 

10h30 às 12h – “Desenho Expandido” com Fábio Florentino

Faixa etária: a partir dos 7 anos

Sinopse: A oficina pretende explorar a linguagem do desenho que nasce da observação, da gestualidade e da compreensão inerente de mundo, atentando à percepção visual, ao reconhecimento espacial e a expressividade por meio do uso das linhas.  Desenho expandido propõem um diálogo por meio da ludicidade e da linguagem da criança com a obra Silêncio Hidrográfico II desenvolvida durante os encontros do grupo Meios e Processos, na Fábrica de Arte Marcos Amaro. Os participantes serão convidados a fazer um desenho em grande formato inspirado em elementos naturais coletados pela FAMA. 

Minibio: Fábio Florentino é formado em Artes Plásticas pela FAFICILE (Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Tatuí) – SP. Especializou-se em Linguagens da Arte pela Universidade de São Paulo – SP. Seus trabalhos analisam os meandros do misticismo vinculados às relações de coexistência entre o ser humano e o meio natural, lançando luz nas tensões ambientais decorrentes da presença humana, articulando arte e biologia. Visita com frequência os efeitos da temporalidade, propondo reflexões sobre o efêmero e a transitoriedade da matéria. Interessa-se pelo desenho ambidestro de grande dimensão e o próprio corpo como ferramenta articuladora de desestabilização.

 


29 de fevereiro – sábado

10h às 11h – “A Casa – Infância” com a artista Lídice Salgot

Faixa etária: a partir dos 6 anos

Sinopse: A oficina “A Casa – Infância” envolve uma roda de conversa e atividades de desenho e modelagem sobre a casa e a infância. Os participantes serão convidados a desenhar suas moradas da infância e atual e completarem o cenário com pequenos objetos que lembram detalhes de suas casas utilizando massinha de modelar.

Minibio: Lídice Salgot é natural de Piracicaba – vive e trabalha na cidade Bacharel em Publicidade – FAAP – Faculdade de Comunicações e Artes, formada em 1975, São Paulo (SP) Trabalhou em agências de propaganda e empresas de comunicação na área de mídia em São Paulo (SP). Nas artes visuais atua há mais de 30 anos com participação em exposições individuais e coletivas, além de salões com prêmio aquisitivo, medalhas e menção honrosa. Desde 2017 faz parte do Grupo de Estudos “Livros de artista, livros objetos: entre vestígios e apagamentos” que acontece na Casa Contemporânea, Vila Mariana – São Paulo (SP).

 

11h às 12h – ” O cão chupando manga e a tempestade no copo d’agua” – Desenhando os Ditados Populares” com Tangerina Bruno

Faixa etária: a partir dos 6 anos

Sinopse: Na exposição “Meios e Processos” a dupla Tangerina Bruno apresenta 3 desenhos criados a partir de ditados populares. A partir desse conceito os artistas desenvolveram uma atividade para o público infantil.  Como é um “cão chupando manga”? E como se faz uma “tempestade em copo d’água”? A partir dessa expressão e desse ditado popular, de forma lúdica, as crianças poderão dar asas à imaginação e investigar essas duas representações através das cores, formas, traços e colagem sobre papéis. Os ditados/expressões populares tema da oficina podem ser alterados, escolhidos em comum acordo entre instituição e artistas.

Minibio: Tangerina Bruno – Letícia e Cirillo são irmãos gêmeos e trabalham a quatro mãos e duas cabeças, da concepção à execução. Assinam com o seu sobrenome, Tangerina Bruno. Vivem e trabalham em Porto Ferreira – SP. A produção da dupla se inicia em 2013, através da pintura. A partir de 2018, começam a desenvolver também trabalhos em outras linguagens, como a fotografia, desenho, escultura e objeto. Dentre as participações em exposições, destacam-se a individual “Piruá” no Centro de Arte Contemporânea W e as coletivas em instituições como o Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro e o Museu de Arte de Ribeirão Preto, no espaço Auroras em São Paulo, a Mostra de Artes da Juventude (Sesc) e salões como o Novíssimos (Galeria IBEU) e o Salão de Praia Grande. A formação dos irmãos se deu através de cursos livres, como aulas de pintura com o artista Manoel Veiga e grupos de acompanhamento e interlocução como o Artistas na FAMA com orientação de Katia Salvany; o Ciclo Jundiaí no Sesc, com orientação de Ana Paula Cohen, Thiago Honório e Andrey Zignnatto; o Grupo de Estudo e Produção de Arte Contemporânea no Instituto Tomie Ohtake com orientação de Paulo Miyada e Pedro França e acompanhamento com o crítico Mario Gioia em Ribeirão Preto.